top of page

Assistente Social


Se você gosta de cuidar do outro, quer ampliar e facilitar o acesso das pessoas aos seus direitos básicos e fundamentais, a profissão de assistente social pode ser a sua melhor escolha na hora de fazer uma graduação. O assistente social lida diariamente com questões sociais, vulnerabilidades e precisa ter capacidade técnica e emocional para lidar com esses conflitos e encontrar as melhores soluções. Veja a seguir o que faz um assistente social na prática e conheça mais sobre essa profissão.


Assistente Social: https://www.pexels.com/pt-br/foto/adulto-banco-margem-ribanceira-7979447/



O que é um Assistente Social?


O assistente social é o profissional que tem uma responsabilidade enorme: gerir, planejar e aplicar as políticas públicas voltadas à melhoria das condições de vida de famílias que necessitam de algum tipo de assistência.


O assistente social é o representante da Assistência Social, uma política pública prevista na lei maior do país, a Constituição Federal de 1988. É papel deste profissional fazer a parte dele para que o cidadão tenha os seus direitos reconhecidos, com base na lei e sem nenhum tipo de discriminação.


O que faz um Assistente Social?


O assistente social tem diversas funções na sociedade, mas a principal delas é garantir direitos do indivíduo, democratizando o conhecimento e orientando a todos na busca por uma melhor condição de vida.


Para isso, ele estuda e aplica o que aprendeu com o intuito de promover igualdade, acessibilidade, autonomia, conhecimento e fortalecimento de vínculos entre esse indivíduo e sua família e também entre ele e a sociedade na qual ele está inserido.


Lista de responsabilidades


As responsabilidades de um assistente social são inúmeras e variam de acordo com o seu ramo de atuação. A seguir, listamos algumas delas:


● Realização de visitas domiciliares;

● Intermédio do equipamento onde atua com outras instituições que possam ser úteis ao indivíduo;

● Elaboração de relatórios diversos para a concessão de benefícios sociais;

● Acompanhamento de adolescentes que cumprem medidas socioeducativas;

● Acolhimento e atendimento de usuários dos serviços prestados por seu ambiente de trabalho;

● Participação direta em processos de guarda e adoção de crianças;

● Contato com familiares de pessoas internadas em clínicas e hospitais;

● Supervisão de estudantes que precisam realizar o estágio supervisionado obrigatório da faculdade;

● Acompanhamento de famílias beneficiárias do programa Bolsa Família, com solução de conflitos cadastrais e outros problemas no recebimento do benefício;

● Encaminhamento de usuários do serviço para outras instituições ou equipamento;

● Coordenação de equipamentos sociais como CREAS, CRAS, CAPS e também de departamentos dentro de hospitais, setores assistenciais e outros;

● Participação em capacitações, palestras, congressos e demais encontros que sejam importantes para a melhoria do seu trabalho junto à comunidade.


Como se tornar um Assistente Social?


Para ser um assistente social, é preciso concluir a graduação em Serviço Social, um curso com duração de quatro anos. A formação é generalista e abrange muitas disciplinas sociais e teóricas, além de métodos de pesquisa.


Nos últimos semestres do curso, o estudante precisa realizar estágios supervisionados e obrigatórios em instituições que tenham um profissional capacitado para acompanhá-los e avaliá-los. E, no final do curso, é necessário apresentar um TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), também chamado de monografia.


Depois da graduação, o estudante garante o título de bacharel em Serviço Social. No entanto, para começar a trabalhar como tal, ele deve estar regularmente inscrito no Conselho Regional de Serviço Social da sua região. A filiação é, portanto, obrigatória.


Habilidades de um Assistente Social


O assistente social lida diariamente com pessoas em situação de vulnerabilidade, seja de ordem econômica ou emocional. Portanto, é preciso desenvolver e aplicar algumas habilidades na execução diária do seu trabalho. São elas:


Saber lidar com diferentes situações e pessoas


O assistente social trabalha com pessoas e suas necessidades diversas. Logo, precisa saber lidar com públicos diferentes, com as mais variadas faixas de renda e nível educacional, além de pessoas muito fragilizadas.


Para isso, deve ter controle de suas emoções, tentar compreender a dor do outro e saber transitar entre diferentes ambientes e situações de conflito.


Visão ampla e crítica da realidade


O grande campo do assistente social é a Assistência e a área da saúde. E, nesses ambientes, o profissional encontrará muitas situações complexas, muitas vezes contrárias ao seu modo de vida particular.


Por isso, é importante enxergar a realidade dessas pessoas de uma forma diferente do jeito que o profissional olha para a própria vida. Ou seja, saber perceber as carências e dificuldades do outro e reconhecer o seu papel como auxiliador e não como julgador.


Empatia


Saber se colocar no lugar do outro é primordial para oferecer um serviço de qualidade. O assistente social deve tentar entender o ponto fraco de seu público, oferecer soluções para o seu conflito, tudo dentro da realidade daquele indivíduo.

É fundamental também que o profissional seja livre de preconceitos ou que não deixe que as suas crenças interfiram no seu trabalho junto à sociedade.


Ótima comunicação oral e escrita


Saber se expressar, se fazer entender, usar uma linguagem acessível, de acordo com cada público atendido, saber orientar de forma clara e precisa cada pessoa que chega até o seu setor de atendimento. São atitudes fundamentais do profissional de assistência.

Também é fundamental saber ouvir para acolher, compreender, detectar pontos não ditos, questões que também podem resultar em uma necessidade, mas que nem sempre são perceptíveis ao usuário. O lado acolhedor do assistente social ainda é muito forte e, por isso, há uma demanda muito grande nesse sentido.


Por fim, saber se expressar também de forma técnica, através da escrita, na criação de relatórios acerca de situações acompanhadas pelo profissional. São documentos que serão enviados a juízes, promotores, chefias de outros órgãos e departamentos e precisam ser bem estruturados.


Capacidade de articulação


Especialmente quando atua no setor público, o assistente social precisa acionar uma rede de apoio quando se depara com uma situação complexa do indivíduo que está atendendo.

Por isso, é necessário que ele crie e mantenha uma rede de contatos, saiba articular ajudas complementares para que não só o seu trabalho seja facilitado, mas, principalmente, a satisfação de quem está sendo acompanhado.


Salário


De acordo com o Glassdoor, a média salarial de um assistente social está em torno de R$ 3.000,00. Esse valor, considerado abaixo do que os profissionais realmente esperam, é mais comum no serviço público. A categoria, no entanto, luta para a implementação do piso salarial de R$ 5.500,00.


Apesar do baixo salário, a carga horária de trabalho do assistente social é reduzida em relação a outras profissões. Por lei, o assistente social precisa cumprir 30 horas semanais de trabalho. Ou seja, 6 horas por dia sem redução do salário.


Local e ambiente de trabalho


O trabalho pode ser desempenhado em ambiente fechado ou aberto, dependendo das funções que ele executa e da demanda daquele dia.


O assistente social pode, em um único dia de trabalho, realizar uma visita domiciliar para coletar informações e, em seguida, se dedicar à elaboração de um relatório social dentro da sua sala. É uma prática muito comum no serviço público, por exemplo, especialmente em secretarias assistenciais municipais e estaduais.


Já quando atua em hospitais, o trabalho realizado acontece quase dentro da instituição, em um local fechado. O mesmo acontece em grandes instituições privadas como empresas, varejistas etc.


O assistente social também tem contato direto com muitos profissionais diferentes, como enfermeiros, médicos, nutricionistas, psicólogos, pedagogos e outros. Eles fazem parte da rede de apoio necessária para o atendimento completo do indivíduo atendido.


Mercado de trabalho


As três áreas que mais empregam os assistentes sociais são: Saúde, Assistência Social e Previdência Social. O ingresso acontece, majoritariamente, através de concurso público. Mas, há possibilidade de admissão por meio de contratos de trabalho.